Telecartofilia- Coleção de cartões telefônicos

Segundo a enciclopédia livre Wikipédia (2016)  a palavra telecartofilia designa o ato de colecionar cartões telefônicos. Pode ser considerado uma variação da coleção de cartões-postais que vieram antes dos cartões telefônicos e somente “Com o advento da moderna tecnologia dos cartões telefônicos, que substituiu as moedas e, no Brasil, as antigas fichas telefônicas, as pessoas começaram a colecioná-los, separando-os e classificando-os por países, categorias, valores, temas ilustrativos, trocando-os e mesmo comercializando-os.”

Esse tipo de coleção não difere muito das coleções de cartões-postais, pois basicamente ambas são efetuadas da mesma forma, ou seja, são adquiridos cartões de diferentes temas e então armazenados, começando assim, uma nova coleção de cartões telefônicos.

A diferença nessa coleção é que algumas peças podem ser bastante difíceis de encontrar e quando são encontradas, nada garante que poderá ser adquiridas, devido aos altos preços pedidos pelas peças. Segundo a enciclopédia livre Wikipédia (2016) “Atualmente, algumas peças alcançam valores expressivos nesse mercado, o que estimula pessoas a colecioná-los como forma de investimento. Entre os fatores que determinam a valorização de determinadas peças encontram-se a tiragem reduzida, uma série específica, defeitos de fabricação, personalidades do momento, eventos esportivos, culturais, etc.”

Devido essa tecnologia ser relativamente recente “A telecartofilia é uma forma de colecionismo em expansão, com um grande número de adeptos. Isso pode ser explicado devido a que os cartões telefônicos são baratos, fáceis de obter e manter, com temas variados e ilustrações atraentes.” Claro, falando dos cartões mais comuns.

“O cartão telefônico é uma tecnologia surgida no final do século XX que veio substituir as moedas e, no Brasil, as antigas fichas telefônicas, nos aparelhos de telefonia pública.” (Wikipédia, 2015) Devido as belas estampas que vinham com eles, logo caíram no gosto do público, que começaram a colecioná-lo, muitas vezes, nem utilizavam os créditos que eles continham e com isso aumentavam a fatura das operadoras de telefones públicos.

Para quem gosta de procurar pela história dos artigos de sua coleção, sabe-se que  “O primeiro cartão telefônico público foi lançado na Itália, em 1976, e era magnético. A opção por essa tecnologia foi impulsionada pelas pesquisas acerca de dinheiro eletrônico (créditos). Ao contrário dos selos e das moedas, os cartões telefônicos admitem a exploração promocional das imagens neles estampadas”  (Wikipédia, 2015) Sendo assim, são produtos bons para publicidade também.

Em terras tupiniquins a tecnologia chegou bem mais tarde e “Os primeiros cartões telefônicos no país foram emitidos em 1992, por ocasião da Eco-92. O cartão telefônico brasileiro é do tipo indutivo. O sistema foi inventado pelo engenheiro Nélson Guilherme Bardini com a colaboração financeira de Dalson Artacho, entre os anos de 1972 e 2012, com o nome de “Ficha Eletrônica”.(Wikipédia, 2015)

Hoje temos todos os tipos de estampas de cartões telefônicos que fazem a alegria dos colecionados e sempre aparecem novas estampas, fazendo aumentar as coleções e angariando mais adeptos da telecartofilia a cada dia que passa. Em algumas cidades brasileiras são realizados encontros com os colecionadores, onde podem aprender mais sobre as peças e trocar algumas com os demais entusiastas desse tipo de coleção.

 

Curiosidade:

O cartão telefônico mais caro do Brasil atualmente é o cartão da empresa Telebras (Telecomunicações brasileira)  com 100 unidades, lançado em 1992 e hoje vendido por até              $ 2.000,00 reais, segundo o site curto e curioso.com (2016). O cartão é branco e azul com imagens de fichas.

 

Para saber mais:

 

_ Telecartofilia. Disponível em:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Telecartofilia.

Acesso em 29/10/2016

_ Cartão telefônico. Disponível em:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Cart%C3%A3o_telef%C3%B4nico

Acesso em 29/10/2016

_ Você tem um desses? O cartão telefônico mais caros e raros do Brasil. Disponível em: http://www.curtoecurioso.com/2016/02/os-cartoes-telefonicos-mais-raros-e-caros-do-brasil.html

Acesso em 29/10/2016

Sergio Weinfuter

Sou escritor e colunista do jornal A Tribuna Regional de Brusque S/C. Autor do livro de contos “Guerreiro das Sombras.”http://produto.mercadolivre.com.br/MLB­731863560­livro­guerreiro-das­sombras­_JM Formado em Tecnologia de Segurança no trabalho com pós­graduação em Engenharia de Segurança no Trabalho. Meu blog: http://guerreiro­das­sombras.webnode.com/ Também contribuo com artigos para o Portal Educação, Escola da Prevenção e Linkedin, onde tem meu perfil completo.

Comentários

comentarios

Deixe uma resposta